Argentina casa com assassino da sua irmã gémea

A pequena localidade de Pico Truncado, na província de Santa Cruz, sul da Argentina, ficou esta sexta-feira em polvorosa devido a um casamento, no mínimo, inusitado. É que o noivo, Víctor Cingolani, é nada menos que o homem que há dois anos assassinou a irmã da noiva.

Apesar do estranho da situação, Edith Casas, a noiva, considera tudo normal e não se sente nem um pouco constrangida por casar com o assassino da própria irmã nem por a cerimónia ser numa penitenciária, já que o noivo está preso, após ter sido condenado a 23 anos de prisão pelo crime.
“Eu não estou louca. Eu amo o Victor e vou-me casar com ele. E a minha família não tem nada que se meter na minha vida, porque nunca se interessaram realmente por mim”, afirma Edith, referindo-se à rejeição familiar à estranha união.
A sua mãe, Marcelina Del Carmen Arellano, salienta que não há nome que classifique a decisão de Edith em se casar com o assassino da irmã, Joana, e que a filha só pode estar psicologicamente afectada. O pai, Valentim Casas, sem esconder o desgosto, diz que nunca mais na vida quer ver Edith.
Edith e Joana, duas jovens irmãs gémeas, a última das quais promissora modelo, mantinham ambas uma relação íntima com Cingolani, que disputavam, e esse triângulo amoroso era razão de frequentes e acesas discussões entre ambas. Um dia, há dois anos, cansada de tudo isso, Joana decidiu terminar a relação com o namorado que dividia com a irmã e Cingolani não aceitou.
No dia 16 de Julho de 2010, o corpo de Joana foi encontrado nos arredores de Pico Truncado, com dois tiros no peito e Cingolani foi preso e condenado pelo crime. O homem com quem Joana passara a namorar depois de terminar a relação com Cingolani, Marcos Díaz, também foi incriminado pelo crime, pois terá ajudado Cingolani, mas ainda não foi julgado.

Veja também

casal

CASAL DÁ UMA QUECAA EM PLENO AVIÃO

Tem casal que quando viaja no avião tenta usar a casa de banho para dar …

Deixe uma resposta