Home / Actualidade / Mulher diz que foi demitida por se negar a fazer “sexo violento” com o chefe

Mulher diz que foi demitida por se negar a fazer “sexo violento” com o chefe

A agora ex-gerente de uma loja de brinquedos de Nova York (EUA) entrou com uma ação contra o seu ex-chefe alegando que era obrigada a fazer “sexo violento” com ele duas vezes por semana em troca de promoção e outras regalias.

Segundo o jornal “New York Post”, Amanda Reyes, de 26 anos, acusa Steven Reis, dono da loja “Fantastic Kids Toys”, de usá-la como escrava sexual. Ela destacou que foi demitida após se ter recusado a continuar com os encontros sexuais.

Amanda tinha sido contratada em dezembro de 2010 e ganhava 10 dólares/hora (cerca de 7,5€). Mas, após se ter envolvido sexualmente com o agora ex-chefe, ela foi promovida a gerente da loja. Além da remuneração Amanda tinha, ainda o aluguer da casa paga pelo patrão/gerente em causa. Tudo estava bem até 29 de agosto, altura em que Amanda rompeu a relação.

Steven Reis, o visado, diz que as acusações feitas são “falsas”.

Veja também

Naked Dating

NAKED DATING: O PROGRAMA DE NAMORO ONDE OS PARTICIPANTES FICAM NUS ANTES DE MARCAREM ENCONTRO

O Naked Dating é um programa de namoro às escuras, de uma rádio australiana de …

Deixe uma resposta